Nov 11, 14

Só faço 25 anos no dia 09/12, mas já há tempos sofro com o que chamo de “crise dos 20 e poucos”. Todo mundo ri quando eu digo que 25 é quase 30 e estou com meio caminho andado pra 50. O que é fato, mas deve ser mal de gente ansiosa olhar pra vida desse jeito, né?

Sou meio retardada. Não mentalmente (ou sou?) mas no sentido de ser atrasada mesmo. Tenho um remorso gigante de AINDA estar onde eu estou. Quando eu era mais nova eu imaginava que aos 25 eu já estaria com minha vida pronta e resolvida, já teria me formado em alguma faculdade (sonhava com História e Arqueologia e em ser algo como um Indiana Jones com peitos) e não estar onde eu estou: Em um trabalho que apesar de ser legal não é o que eu queria de verdade, morando de aluguel, sem ter feito faculdade, sem saber dirigir, sem ter a mínima idéia doncotô ou proncovô.

Já trabalhei de quase tudo aqui nessa cidade. Já fiz cleaning, já trabalhei de caixa de supermercado, já trabalhei em comércio, já trabalhei em um escritório que fazia o inferno parecer um lugar maravilhoso e agora tô aqui. Nunca estive satisfeita ou me deixei acomodar em um lugar só, sempre estive em transição constante. Eu sou meio cigana, sabem? A-DO-RO de mudar de casa, trabalho, bairro, cidade. Não curto ficar muito tempo parada igual uma planta no mesmo lugar.

Mas planta é o que eu tenho sido de uns anos pra cá. Tem uma música do Pearl Jam chamada “Sleight of hand(aquele truque de mágica em que um certo objeto é passado de um lugar para o outro sem ninguém perceber) que é sobre rotina. Me chamem de sentimental mas a primeira vez que eu prestei atenção na letra dessa música eu chorei até soluçar porque ERA EU todinha ali. Pareço um robô programado pra fazer a mesma coisa todo dia: Levanta (não necessariamente estando acordada), toma banho, vai trabalhar, volta, vai dormir. Ad eternum. Eu NUNCA quis isso pra mim mesma, nunca! Eu odeio rotina com todas as forças do meu ser!

Será que é normal nessa altura do campeonato não ter a mínima ideia do motivo pelo qual você veio ao mundo? Tipo, O QUÊ QUE EU TÔ FAZENDO AQUI NESSE PLANETA? Como diabos eu me permiti vir parar aqui? 

Oct 29, 16
Inventário #2
Jun 22, 16
Inventário
Bottoms up!
Dec 11, 16
V i n t e s e t e



  • 11 . 11 . 2014

    A! eu tb adoro mudar e detesto rotina com todas as forças, detesto mesmice. kkkk

    • 11 . 11 . 2014

      Oi Ohara! Tudo bem? Vi seus outros comentários mas em vez de responder todos os outros 5, vou responder esse aqui pra resposta não ficar picada ok?

      Então, te vejo sempre comentando lá no Coisas de Blogueiras! Super atenciosa você :) Entra pro nosso grupo do Facebook também, se você já não estiver lá!

      Quanto ao formulário de comentários que você acho pequeno, não há nada pra arrumar porque ele vai expandindo na medida que você vai escrevendo! E tem como expandir manualmente clicando no cantinho inferior direito e arrastando. :)

      Beijoca e obrigada pelos comentários! :*

  • 11 . 11 . 2014

    se não foce por esse espacinho pequeno para comentar, eu falava mais pq sou muito faladeira. bjos!

  • 11 . 11 . 2014

    inesperado nada ver com q planejavamos nopassado. e assim a vida anda, melhor.a nossa vida não gosta de andar, gosta é de correr. adorei esse post e

  • 11 . 11 . 2014

    falou.tmpopassa mto rapido.e pcausa disso qfalam q nossa vidapassa rapido e namaioriadasvezes essessonhosnunca se realizam ea nossavida tomaoutro rumo

  • 11 . 11 . 2014

    escrever desse jeito.quando puder arruma o formulario ok? kk sou muito faladeira então.sou meio retardada dos2lados, tantomentalquanto outrolado qvc

  • 11 . 11 . 2014

    Hahaha conheci seu blog la no blog coisasdeblogueiras, ta. desculpa se eu dividir meucomment em 80 e ecomonizar o maximo deletras pocível.nao sou

  • 11 . 11 . 2014

    meu Deus, não acredito .. encontrei alguem que senti o mesmo que eu .. estou nessa mesma sensação, estou com a mesma crise .. esse ano estou no meu ano de fazer 23 mais lembro de tudo que eu sonhava já ter feito a essa idade .. dá um agonia rs :/

    • 11 . 11 . 2014

      Pois é, moça. Eu que não curto muito esse negócio de fazer metas de ano novo tô querendo ver se em 2015 eu dou um jeitinho na minha vida. Tô com 25, e se eu não tomar coragem pra correr atrás agora vai acabar ficando tarde e eu não vou correr atrás nunca… Força pá nós! :)

      :***

  • 11 . 11 . 2014

    Eu estou nos meus plenos 20 anos e já sofro de crise de idade, já me sinto velha para mil coisas, e sem pique para outras. Me sinto estagnada quando vejo pessoas de 16-18 anos fazerem muito mais coisas que eu, mesmo eu sendo universitária, trabalhar, ser fotografa e música ainda acho que faço pouco.

  • 11 . 11 . 2014

    Babi,

    Primeiro que as pessoas que nascem dia 09/12 são ótimas e adoram viajar!

    Sobre chegar aos 25 e estagnar – isso ocorre, eu so tive essa crise agora – faço3.0 mas é normal!! As vezes você nem se lembra mas em outros dias estão ali :(

    Sacode a poeira, muda aslgo da rotina e bora aproveita a vida!

  • 11 . 11 . 2014

    Babi isso é tão normal que nem sei. Eu tenho 27 rumo aos 28 e tô no mesmo barco! A vida é complexa demais pra gente simplesmente saber o que quer dela. Isso é frustrante eu sei, e sei bem, mas acredito que vamos chegar lá, seja lá onde lá for ahahaha
    Força por aí! Bjoks
    http://www.embonita.com.br

  • 11 . 11 . 2014

    Oi Babi. Sou amiga da Patty (AML) e tem umas semanas que eu encontrei seu blog e comecei a seguir no Bloglovin, e agora, li esse post e achei importante vir aqui comentar.

    Eu entendo essa crise dos 20 e poucos anos. Eu estou com um pé nos 24 (Janeiro é logo ali), porém diferente de você, já sou formada, no curso que eu sempre quis fazer, e faço pós graduação, também no que eu sempre quis fazer, mas há dois anos, estou desempregada. Tentei emprego em diversas áreas e nada, e eu faço essa mesma pergunta: o que eu vim fazer aqui? Pois não adianta nada eu ter um sonho, em ser uma executiva, ter rotinas administrativas e tudo mais, estudar muito para isso, mas se ninguém me dá a primeira oportunidade porque eu não tenho experiência.
    Porém, acredito sim que dias melhores virão, para todas nós, e logo logo você vai se achar. :) A gente não se conhece, mas se precisar de alguém para desabafar, e que com certeza vai te entender, pode contar comigo! ^^ Beijo grande!

    • 11 . 11 . 2014

      Ei lígia!

      Sério, que tenso. Eu conheço bastante gente que também está ou já esteve nesse mesmo barco que você e eu imagino o tanto que deve ser difícil quase se matar de estudar por anos e anos e no final não ter um reconhecimento digno dos seus esforços e estudos. O conhecimento você já tem, você já está meio caminho andado, agora é só continuar correndo atrás que como você mesma disse, sua hora vai chegar e você vai se achar! Se fosse fácil a gente não daria valor, né? :)

      Lígia, muito obrigada pelo comentário. De verdade mesmo! Talvez a gente não se conheça mesmo, mas entendemos o que cada uma tá passando e isso já é o bastante! Te digo o mesmo: Qualquer coisa conta comigo!

      Beijo beijo :* :*

  • 11 . 11 . 2014

    Olá! Estou visitando seu blog pela primeira vez, pois indicaram em outro blog.Amei em tudo, parabéns! Sobre a crise dos 25, parece que todos passam por isso e digo que estou passando também, queremos o melhor para nós, mas nem sempre sai como queremos e o mais importante: falta $$.
    Trabalhei em um ambiente que não era rotineiro, cheio de coisas para fazer e não gostei rs. Todo dia era uma novidade, bom, mas rotina cansa mesmo! Então temos que fazer dessa mesmice, algo diferente.

    http://www.universopraticofeminino.com

  • 11 . 11 . 2014

    Menina, conheci seu blog hoje e já to querendo te abraçar???
    Olha só, isso é normalissimo. Eu do alto de toda minha experiência posso te dizer porque tenho… 26, fuein. Brincadeira, mas eu passei pelo mesmo. Perdi o emprego, chorava de soluçar porque não sabia o que queria da vida ou o que fazer, não sabia nem se queria estar casada mais com menos de seis meses de casamento. Aí um dia eu conversei com meu pai sobre isso e ele disse que sentiu o mesmo e que com 32 anos ele pegou minha mãe, eu e meu irmão, mudou de cidade sem dinheiro e recomeçou e que eu não precisava ter medo porque a gente sempre pode recomeçar de novo e de novo. Além disso, eu aprendi que nada dessas coisas de emprego ou casamento ou cursos definem a gente. A gente é o que é, na alma, sabe? Então fica tranquila. As coisas se encaixam. Os 30 sáo o novo 20 e passar por um período de descoberta antes deles, eu descobri, é a coisa mais normal do mundo. Sinta-se abraçada, querida. Já to apaixonada nesse blog mesmo. Beijão!

  • 11 . 11 . 2014

    Ai, babi, nem cheguei nos 25 mas te entendo tão perfeitamente…tenho essas crises desde o meio da faculdade, sabe?? Foi até um dos motivos pelo qual eu larguei o meu estágio na época, eu não queria ser efetivada naquela rotina sem graça e me acomodar com aquilo. Nunca quis isso pra mim. E imagino como você esteja se sentindo, a pressão que você sente pra cima de você. Estamos em cenários diferentes, mas o enredo é parecido.
    Vira e mexe eu me faço essas perguntas também. Mas oh, pensa pelo lado positivo que pelo menos você teve uma grande oportunidade de sair daqui e começar uma ~vida~ do zero. Outro país, outra cidade, outra rotina! Aproveite!

    • 11 . 11 . 2014

      Ô perua, eu não ia comentar, não. Mas é porque eu estava com preguiça mesmo. E por falar nisso: tô com preguiça da vida. Você sabe disso. Há um tempo venho comentando com você sobre eu estar desanimada com tudo e todos! E isso piora toda vez que eu lembro que estou próxima dos 20 anos e é aquela coisa, né? Quando chega nos 20 a vida corre e passa tão rápido que você só percebe quando se dá conta de que não fez nada que estava nos planos – ou que não fez porcaria de plano nenhum, o que é pior (?). Você sabe o quão sonhadora eu sou e o tanto de coisa que eu quero fazer na vida e a cada vez que eu me pego desanimada, tento eu mesma me dar um choque de realidade e agitar essa poeira que fica aqui. Colocar a coisa toda pra funcionar e etc. Acredito que quem faça nossos dias somos nós mesmos! Então o que fica de conselho pra mim, pra você e para as gurias do comentário é: bora meter a mão na massa e tornar a nossa vida aquela vida que queremos, no matter what.

      Beijunda e tchau

  • 11 . 11 . 2014

    Acho que meu comentário foi apagado O_o pelos erros que você comentou então mandarei de novo. Não sei se lembro de tudo, mas vamos lá!

    Você pode ter quantas crises quiser!! Tenho quase 30 e de algum modo achei que minha vida fosse acabar em 2015! Não sei porquê, ninguém me falou nada, apenas achei isso. E aí eu vi que ela só acaba quando eu quiser e que é mais do que permitido recomeçar se você não gostar de como está saindo. Estou na minha 4ª faculdade sem ter terminado nenhuma das outras porque eu não havia me encontrado ainda. Agora eu sei aonde estou, para onde vou e como chegar lá. Permita-se ficar para baixo e reavaliar suas prioridades, sua vida, carreira é normal. Não se cobre tanto. Em algum momento você vai descobrir o que quer e será a melhor descoberta.

  • 11 . 11 . 2014

    Oi, Babi!
    Desde que entrei no CDB venho acompanhando o seu blog, mas acho que nunca comentei por aqui, sei lá por quê.
    Hoje a necessidade de comentar foi tão tão grande que meus dedinhos não se seguraram.
    Primeiro: Seu layout tá incrível!
    Segundo: Esse post veio como um calorzinho pro meu coração. Eu nem passei dos vinte, mas assim como você, sou ansiosa e acho que isso me ocasionou UMA CRISE EXISTECIAL! É fato que eu sempre fui de pensar demais, mas isso de pensar no futuro e no que eu realmente vou fazer com a minha vida vem tomando boa parte do meu tempo. Eu não quero entrar numa onda de viver a vida no automático, de jeito nenhum! Mas já me vejo assim, fazendo as coisas por obrigação e vendo a vida passar na porta da minha casa dando tchauzinho, enquanto tô dando uma olhada no instagram. Eu entendo o que sente (talvez não da mesma forma, mas entendo!!) e sei o quão angustiante é se sentir assim. Eu vi um vídeo esses dias e fiquei sentada na frente do computador, chorando e me perguntando: E agora? O que eu faço?
    Esses momentos são difíceis mesmo, mas lembra que a gente pode viver a vida dos sonhos. É complicado assumir e sair da zona de conforto, é complicado não procrastinar, mas a gente consegue!! Como diz uma blogueira: A gente nasceu pra dar certo!
    Terceiro: Você me emocionou com seu post e me inspirou a desabafar no blog também! Obrigada por compartilhar isso com a gente! ♥

    • 11 . 11 . 2014

      Ei mô bem! Que comentário mais gracinha! Que bom que cê gostou do layout :D

      Então, moça. Eu disse no post que eu tenho essas crises não é de hoje, acho que já deve ter no mínimo uns 3 anos. Depois que eu saí do BR piorou porque a pressão de ser alguém/fazer algo importante da vida só aumentou, sabe? Mas essa mesma pressão nem é tanta novidade assim pra mim, eu me cobro muito.

      Ansiosas unidas jamais serão vencidas! Só fui assumir que eu realmente tinha um problema com ansiedade pouco tempo atrás. Pior coisa na vida é ser ansioso porque a gente preocupa literalmente COM TUDO, né? Olha só, você nem 20 tem e tá preoucupando com os 30! HAHAHAHA

      E acho que a vida realmente deveria ser vivida assim, no “modo manual” sem fazer nada por obrigação porque não existe coisa pior, né? E acho que é isso mesmo que você disse, eu preciso sair da minha zona de conforto!

      Obrigada pelo comentário cheio de carinho! Ver que não tô sozinha nesse mundo me enche de esperança!

      Um beijão bem grandão pro cê :***

  • 11 . 11 . 2014

    Pois é Babi, essa coisa de rotina pega a gnt e gnt nem percebe, também estou assim, vivendo uma rotina quadrada mas espero logo sair dela

    • 11 . 11 . 2014

      Cruzando os dedos pra gente, Mandy!

      Beijão :***

  • 11 . 11 . 2014

    Me identifico com você. Tenho 26 e de repente olhei pra minha vida e não sabia o que e como tinha acontecido, ou não. Era essa rotina também de levanta-trabalha-volta pra casa-trabalha mais um pouco-dorme. De repente olhei e pensei: e eu!? Crise dos 20 e poucos total! E o preocupante pensamento de “e como vão ser os próximos 26!?”

    • 11 . 11 . 2014

      Ei Ana!

      Pois é. É o truque de mágica que eu mencionei no post, a gente tá tão ‘no automático’ que a gente não percebe quando faz certas coisas. Eu as vezes chego no trabalho e penso ‘mas eu nem lembro de ter estado no metrô direito, como pode?!’

      Será que passa um dia? TOMARA!

      Beijão! :*

  • 11 . 11 . 2014

    Ok, vai parecer clichê mas eu me identifiquei novamente com seu post. Estava esses dias mesmo pensando que ano que vem faço 25 e não estou onde queria estar e não faço a mínima ideia do que vai ser de mim nos próximos anos. Vivo em transição mas nunca o ideal vem a mim e eu adoro estar em transisção, odeio o comodismo.. A verdade é que eu queria estar aos 25 anos trabalhando e ganhando bem para poder pagar minhas contas direitinho e quem sabe morar sozinha sem preocupações? E é estranho porque quando chegamos nessas indagações a gente pensa que estamos sozinhas mas é bom saber que existem outras pessoas que passam pelo mesmo. Me sinto reconfortante!

    • 11 . 11 . 2014

      Ei dona Isa!

      Não, não é clichê de maneira alguma! Pra mim tá sendo um exercício mental saber que eu não tô sozinha quando me sinto assim e que é normal. Pensando assim a gente acaba se convencendo um pouquinho que vai passar. Força pra você pra conseguir correr atrás!

      Beijim pro cê! :***

  • 11 . 11 . 2014

    Babi, eu acho que eu passo por uma crise de identidade a cada ano, e até acho que ainda não encontrei o meu caminho, sabe? vivo uma incógnita… Beijos

  • 11 . 11 . 2014

    Agora foi, sem o url do meu blog. Acho que esse é que foi o problema rs. Seu blog não gosta do meu :( kkkkkkkkkk

    Beijos Babi!!

    • 11 . 11 . 2014

      GOSTA SIM!!! Nathalia, MIL PERDÕES! Primeiro vexame que esse blog me faz passar OIAUEHOAIEUH

      Tô vendo qual pode ser o problema e não vou dormir enquanto não resolver, já que não é só com você! Mas mil desculpas e MUITO obrigada por ter tido o trabalho de voltar aqui e digitar o comentário todo de novo!

      Beijo beijo :***

  • 11 . 11 . 2014

    Tenho a leve impressão de que meu comentário foi cortado de novo. Acho que eu é quem vou chorraaaarrrrr.

    Mas vamos lá novamente.
    Eu sei bem o que é passar por essa “crise dos 25 anos”. Completei 25 anos tem menos de um mês, mas já estou nessa crise há mais de um ano.
    Pra onde eu vou? O que devo fazer? Puts, que saco. E se tem uma coisa que eu odeio muito também é a bendita (pra não falar outra coisa) da rotina.
    Estava aqui pensando que todos nós, meninas indecisas dos 20 e poucos anos que não conseguem ver como serão as nossas vidas em alguns anos, devemos montar um grupo de ciganas e viajar o mundo, uma ajudando a outra. Assim pelo menos teríamos um rumo com amigas do lado e nada de rotina rs.
    Fui Au Pair por um ano e meio nos Estados Unidos, e uma vez que a gente mora fora não quer mais saber de ficar no mesmo lugar. Junto dinheiro para sair do Brasil o mais rápido possível.
    Não é nada fácil essa nossa vida de indecisão e futuro em branco. Queria poder te ajudar mais ou te aconselhar de alguma forma, mas vou ficar devendo, sendo que estou na mesma situação. Mas acredito que isso também vai passar… só não temos idéia de como rs.
    Amei o blog e vou continuar te seguindo por aqui.
    Beijos

  • 11 . 11 . 2014

    Me vi em cada palavra desse texto. Estou com 25 e alguns meses, formada duas vezes, mas isso não quer dizer muita coisa. Na verdade acho que é até pior, porque como eu não consigo me ver 100% realizada fazendo algo que eu amo?

    Certa vez vi uma reportagem que os jovens de hoje são mais inquietos e não gostam de fazer a mesma coisa por muito tempo, ou sejam, estão sempre mudando de setores, empregos e vontades. Não fiquei muito relaxada com isso, mas me apego ao ditado que fala que cada pessoa tem seu tempo, ou alguma coisa assim.

    Talvez a gente tenha tantas opções de vida que acabamos nos perdendo ou nos enjoando fácil do que fazemos hoje. Se eu pudesse ser uma pessoa a cada dia, eu seria =) moraria um semestre em um lugar diferente.

    Não acho errado não se encontrar, na verdade acho errado se prender à algo.

  • 11 . 11 . 2014

    Sabe, Babi, eu encontrei seu blog nesse exato minuto e suas palavras nesse post de 11/11/2014 s

    • 11 . 11 . 2014

      Chesus, eu vou chorar! Segundo comentário que é cortado ao meio! Karla, mil perdões mas seu comentário foi cortado! Deve ser algum problema com algum plugin que eu tô usando, vou verificar aqui. Mas mil perdões! :(

      • 11 . 11 . 2014

        Putz! Cortou tudão! Tinha escrito aaaaaltas coisas! Rs! Espero que esse não corte! Babi, eu descobri seu blog agoraaaa (agora faz uns 5 ou 10 minutos, rs!), e seu post sobre os 25 anos é exatamente o que eu sinto. Você não está sola nessa vida! E esse monstrinho cigano e a ansiedade que parece que vai sair do peito também se encontram em mim! Pra resumir… Tenho 26 anos, sou de Brasília e apenas com meus 20 anos decidi que queria fazer faculdade fora, e aí fui fazer ciências sociais em uma cidade do interior paulista, que nunca tinha ouvido falar antes, morei sozinha, morei com amigas, escolhi o curso por achar que “era vocação” e na real descobri que não tenho vocação alguma, apesar de curtir. Assim como a vontade de sair de Brasília, me veio a vontade de mudar de cidade novamente, fui então fazer intercâmbio em outra faculdade em outra cidade do interior, mais próxima da capital São Paulo. E quando finalizei a parte das disciplinas na faculdade (faltando apenas monografia), voltei pra Brasília e adivinha?! ansiedade e inquietude bateram na porta novamente, queria mudar de novo, viver, buscar experiências novas, assim, consegui um emprego aqui em São Paulo, que não é um emprego ruim, mas não é exatamente o emprego que me faz querer acordar e vir trabalhar todo santo dia. Isso tudo e só pra te dizer que o sentimento de não saber o que fazer dessa vida, de não saber exatamente no que se é boa, ou nem precisa ser boa, mas achar pelo menos algo que te inpire ou te faça feliz, é muito difícil ser sentido. Hj moro em SP, moro sozinha num ap sem muitas janelas, tenho uma certa situação financeira aceitável e… bem… nada parece fazer muito sentido. Ainda mais pra quem é ansioso, é muito difícil se sentir “passando” e não “vivendo”!!! Eu sou a pessoa mais ansiosa que eu já conheci, e até agora também não me encontrei, mas bem… tô tentando. Mudo quando dá na telha, faço o que tô afim de fazer, não me importo muito com o que as pessoas vão achar, do tipo “essa menina não para quieta, não sabe o que quer”, não sei mesmo, por isso tento experimentar e vivenciar o máximo de coisas possíveis. Até me achar no que me faça feliz. Não funciono bem em situações que me sinta “passando”. Meu conselho pra você é: experimente o que der pra experimentar, viva o que der pra viver. Quando chegar nos 30 você vai saber pelo menos o que você NÃO quer fazer! :)

  • 11 . 11 . 2014

    Garota, eu sei bem o que

    • 11 . 11 . 2014

      Nathalia, socorro! Acho que seu comentário foi cortado, só apareceu o “Garota, eu sei bem o que”

      VOU CHORARRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRR!!!!!!!!!!! :'(

  • 11 . 11 . 2014

    Oiê! Olha, sempre sofri com a minha idade…mesmo qndo tinha 16 anos…tdo aniversário era a mesma insatisfação de fazer mais um ano…como se eu tivesse perdendo tempo de vida…

    obviamente qndo fiz 25, tive essa crise e comecei a hiperventilar (hahaha) só de pensar que já estaria com 30. Beirando os 29 agora, comecei a me controlar sobre esse pensamento que tanto me faz mal, e se pararmos p pensar, é imbecil! Meu, o que a gente quer?! parar no tempo n rola, voltar no tempo tb n…a unica alternativa para n envelhecer é morrer! então eu prefiro envelhecer…graciosamente e feliz de preferencia! rs

    entendo tb essa urgencia que temos e a comparação desmedida com outras pessoas, eu tb passo por isso, acho q tdos passamos… e isso é o mais engraçado. Até aquela pessoa q vc acha q ta bem resolvida passa por isso, e pode olhar p vc e se sentir “deixada p trás”. no facebook tdo mundo é feliz.rsrsrsrs

    Rotina, infelizmente é uma coisa que está embutida em viver…o que podemos fazer é sempre buscar novos interesses, novas amizades, novas descobertas! Pense pelo lado positivo! Você pode e deve fazer tdo diferente sempre que desejar! Nós bitolamos mto com as regras impostas pela sociedade.

    eu respiro fundo e penso o que me deixa feliz e em paz? é isso que eu quero então.
    No momento eu estou: tentando ser uma fotógrafa profissional, construir uma empresa n tem sido fácil…me acho uma criança ainda e as vezes fico maluca.

    ter uma situação financeira aceitável! Pra que eu possa fazer o que me der na telha! =)

    controlar essa vontade de ser mãe que surge cda vez mais dentro do meu ser, sem dinheiro e estrutura.rsrsrsrsrs

    beijos!

    • 11 . 11 . 2014

      Ai, cês tão querendo me matar de chorar ou o quê, hein?

      Carla, toca aqui! Depois que fiz 16 anos NUNCA MAIS gostei de aniversário. E sabe por quê? Porque eu cheguei à conclusão que fazer aniversário = 1 dia a menos de vida. Enfiei na minha cabeça que parabéns = “parabéns por não ter sido atropelada por um caminhão” e que eu não tinha motivos reais para comemorar. É um péssimo jeito de se pensar para uma adolescente de 16 anos e não sei de onde tirei isso, mas ficou comigo. Apesar de não pensar mais assim hoje em dia, continuo não gostando de aniversários :(

      Morri de rir com “a unica alternativa para n envelhecer é morrer!” OAIUEHAOIEUHAOIEUH não existe verdade maior que essa! Gente ansiosa é foda, tenho 25 e já tô preocupada com o que vai acontecer aos 35! Eu comentei isso no comentário da Lidi, muita coisa vem da pressão que colocam na gente desde pequena. “Estude, compre um carro, compre uma casa, se case, tenha filhos e morra.” A VIDA É SÓ PRA ISSO????

      TO EM CRISE EXISTENCIAL, SOCORRO!

      Carla, cê já tá em meio caminho andado pro sucesso! Já sabe o que você quer ser e tá dando os passos nessa direção. Acredite, isso já é o suficiente e você vai chegar lá!

      Carla, mil vezes obrigada pelo comentário. Tô emocionada DE VERDADE porque só tô recebendo comentários lindos nesse post que estão me mostrando que isso não é coisa da minha cabeça, que eu não tô sozinha e que talvez isso passe. Acho que cês nem imaginam a força que isso me dá!

  • 11 . 11 . 2014

    Babi, vem cá me dá um abraço e deixa eu te contar uma coisa de alguém que recém chegou aos 30 e está passando exatamente por isso: acho que é uma crise da nossa época. Nossa geração não está no mundo para ficar muito tempo parada no mesmo lugar, e quando isso acontece vem o estranhamento, o deslocamento.
    Eu também estou num trabalho curto, mas não tanto, e quero sair, mas não sei o que faço, e a idade, e a carteira de habilitação, e zás… mas no fim são cobranças muito mais influenciadas por um fator externo do que interno. Vemos as pessoas construindo a vida delas e queremos isso também, mas talvez nosso relógio esteja programado em outro ritmo.
    Procuro não pensar tanto nisso, é complicado e nem sempre dá, mas vou tentando mesmo assim :)

    Beijokas! :**

    • 11 . 11 . 2014

      Ai, Lidi. Que comentário lindo! *abraça forte*

      Tenho tantado MUITO afastar esses pensamentos porque ansiedade é uma bola de neve, aí já viu né? E é exatamente o fator externo que você mencionou: Todo mundo aparentemente já tá com a vida resolvida e eu aqui vivendo como se tivesse acabado de fazer 18 anos. Eu esqueço que -como você disse- meu ritmo pode ser diferente e o que é bom para os outros talvez não seria tão bom pra mim, mas é difícil nos convencer dessas coisas quando a pressão que vem da sociedade é enorme. Temos que nos formar aos 22, comprar um carro aos 23, casa própria aos 28 e filhos aos 30, caso contrário = fracasso na vida.

      Toda vez que eu ficar preocupada com essas coisas vou lembrar do que você disse: “talvez nosso relógio esteja programado em outro ritmo”. :)

      Um beijão bem grandão e obrigada pela força! :*

  • 11 . 11 . 2014

    E não é que a crise dos 20 e poucos existe mesmo? Acho que 90 % das pessoas passam por essa fase e eu espero ansiosamente que seja só uma fase mesmo. Afinal dizem que é nos 30 que as mulheres se realizam né , mas como fazer isso sem saber pra onde ir ou o que vai ser. kkk Mas saiba você não está sozinha nesse drama.

    • 11 . 11 . 2014

      Pior que existe mesmo, menina! Eu queria fazer parte dos 10% que são desencanados e não passam por essa fase, porque olha, tá TENSO! OIAUHEOAIEUHA

      Obrigada pelo comentário Ane! :)

      Beijo beijo :***