Feb 16, 16

Não sei se vocês viram, mas no último post tive um ataque de pelanca aqui no blog. Desabafei, descarreguei o peso que tava nas minhas costas, sentei no computador pra transformar meus pensamentos em texto e pela primeira vez na minha vida um post ficou pronto em 10 minutos. Acho que pelo fato de que eu já estava remoendo aquilo ali há algum tempo, as palavras vieram com uma facilidade enorme, coisa que não acontece nos posts que eu faço aqui. Eu reviso um post em média 20 vezes antes de ele ir ao ar (o contador do WordPress não me deixa mentir). Não sei se devo chamar isso de TOC, de frescura, de ansiedade, sei lá. Só sei que nada nesse blog nunca fluiu (fluiu? que palavra estranha) tão fácil como aquele post.

Eu já falei de coisas bem pessoais aqui. Algumas pessoas acham errado, outras são imparciais, outras são um livro aberto. Eu sou something in between. Ao meu ver, blogs estão aí pra compartilhar, seja lá o que a gente se sente confortável compartilhando. Eu compartilhei um momento ruim, mostrei minha fragilidade. Mas no estado da nossa sociedade atual, todo mundo tem que ser sempre forte e confiante.

Não pode ser mulherzinha.
Não pode ser frágil.
Engole esse choro.

Ao publicar aquele post eu tinha comigo que ele não ia durar nem 2 dias aqui no blog. Sim, foi apenas um post sobre fotografia, mas dele vocês podem deduzir muita coisa sobre mim. Na minha cabeça ele iria acabar sendo apagado porque eu ficaria com vergonha de ter me exposto daquele jeito. Exposto minha insegurança, minha incerteza, meu auto(e alto)questionamento.

Pode parecer meio drama queen pra vocês, mas em troca de toda essa abertura no dito post, eu recebi –sem esperar– um apoio e uma empatia que eu nem sabia que existia na blogosfera. Me levantaram, me deram ânimo, me deram vontade de tentar novamente. Nós muitas vezes esquecemos que blogs não se escrevem sozinhos e que por trás de cada blog tem uma pessoa REAL ali atrás, de carne e osso, cheia de sentimentos. E como espectadores/leitores nós assistimos a existência dessas pessoas, muitas vezes calados, e não temos noção do tamanho da diferença que podemos fazer na vida de um ser na internet que mal conhecemos com um simples comentário que é feito de coração.

Não sei exatamente onde eu tô indo com esse post, mas eu queria mesmo era agradecer. Dizer que sou grata à mim mesma por ter criado esse blog em 2012, e sou grata a vocês por ter mantido ele, e principalmente eu, de pé.

Babi

tranquilo e favorável

Oct 20, 17
Sobre cinco anos de blog
Oct 29, 16
Inventário #2
Jan 06, 16
10 coisas para 2016



  • 16 . 02 . 2016

    Babi, é muito bom ter um lugar de escape pra gente escrever, é como se o peso que a gente sente saísse das nossas costas, não é?

    Hoje em dia o mundo está tão sem amor que quando recebemos carinho de alguém a gente até estranha…infelizmente :(

    Por um mundo com mais amor <3
    Beijos, Gabi.

  • 16 . 02 . 2016

    Olá, Babi. Lembra-se de mim? Sou a outra gêmea hehe! Estou aos poucos lendo o seu blog. Ele é inspirador, sabia? Adorei conhecê-la e confirmar que ainda existem pessoas amáveis e desapegadas que não pedem nada em troca. A amizade surge, assim, nessas experiências singelas e se fortalecem. Tens em mim uma amiga aqui do outro lado do oceano… bjocas e sucesso!!!

  • 16 . 02 . 2016

    Eu me vi muito nesse seu texto, acho que meu blog me ajudar muito todos os dias, não apenas ele, e sim as leitoras que sempre estão lá <33! Acho incrível também amizade que criamos como muitas blogueiras, todo mundo que está aqui no meio da blogosfera são pessoas incríveis, sempre ajudando como poder uns aos outros, apenas com um simples comentário! A internet quando é usada da melhor forma, é algo maravilhoso! Adoro esse mundo virtual <33
    Beijos,
    http://www.dosedeilusao.com

  • 16 . 02 . 2016

    Amorzinho de post, Babi! Eu me sinto várias vezes abraçada virtualmente: quando recebo comentários que me encorajam, ou quando leio coisas que me representam, sabe? Tenho encontrado muita gente incrível desde que voltei com o blog (apesar de todos os pesares, haha) e isso é incrível. A internet pode ser maravilhosa <3

  • 16 . 02 . 2016

    Que post mais lindo, Babi! Não sei dizer, mas me senti super abraçado por você com tuas palavras. Essa é com certeza a melhor parte de se ter um blog, esse impacto que nós temos na vida de outras pessoas e o delas na nossa, é muito incrível sabe. Quando criei meu blog não tinha ideia dessa grandeza toda. É ver estranhos sendo gentis com estranhos e ajudando as pessoas pelo simples prazer de ajudar e fazer o bem. Isso é muito lindo! ♥

  • 16 . 02 . 2016

    A internet pode mostrar crueldade, mas também mostra muito amor <3
    Fico feliz que você recebeu uma enxurrada de carinho, é bom ter pessoas que nos botam pra cima, mesmo que a gente não conheça pessoalmente.
    O mais legal de ter blog, é que a gente conhece tanta gente com os mesmos pensamento e dramas, então um pode ajudar o outro a superar esses pequenos desafios ou nos alegrar com histórias felizes.
    Viva a blogosfera \o/

  • 16 . 02 . 2016

    Essa é a melhor parte dos blogs! A gente se ajuda! E o apoio vem quando a gente menos espera. É incrível e é muito poderoso, é uma diferença enorme no nosso dia.
    E eu adorei suas fotos (e comecei a seguir no instagram) e espero que você se encontre. Já senti o mesmo algumas vezes (e sei que vou me perder de novo), mas a gente tem que focar que faz isso por diversão (e só pra nós e pra mais ninguém) e que nem sempre tem que ser uma grande foto, as vezes é só um registro que vai te fazer sorrir. Quando o momento for certo a gente sempre vai acabar voltando, porque sempre vai ser divertido se a gente não pressionar.

  • 16 . 02 . 2016

    Nice post… I think it’s good to be a little personal on your blog! To me, it’s better to read from a real person than an enigma behind a computer screen. <3 Congrats for blogging so long! It's a journey, no?

  • 16 . 02 . 2016

    Pode ser frágil, pode chorar, pode botar pra fora porque é pra isso mesmo que palavras foram feitas!
    Acho que uma das melhores coisas em publicar o que se escreve (e olha que venho fazendo isso no meu blog a quase 12 anos) é que a reação vai ser sempre uma surpresa. Às vezes planejamos, organizamos e revisamos algo que pode ser bom e pode ser útil, mas nem sempre vai ser o que vai trazer uma resposta “melhor” – entre aspas, porque acho que toda resposta não ofensiva é boa.
    E te entendo especialmente porque aconteceu comigo igual: meu penúltimo post foi escrito e publicado no impulso, sem planejar, escrito rapidinho e foi o que mais me deixou feliz na vida, alguns comentários me fizeram chorar!

  • 16 . 02 . 2016

    Que amor! Um post real sobre pessoas reais. <3 As coisas ficaram tão mecânicas que às vezes a gente esquece que os medos, dúvidas e frustrações são compartilhados. Empatia é tudo. :) Foto linda, por sinal.

  • 16 . 02 . 2016

    Me arrepia pensar que por trás de cada comentário, de cada palavra de carinho, tem uma pessoinha (com medos, sonhos e tudo mais que a gente carrega na nossa “bagagem”). Esse mundão da internet é mesmo uma coisa linda. <3

  • 16 . 02 . 2016

    Sua lindaaa! Agradeço todos os dias pelas pessoas maravilhosas que essa internet me trouxe, e você é uma delas. <3

  • 16 . 02 . 2016

    Que amor seu texto <3
    Nós, que escrevemos, temos medo dos leitores não gostarem né?
    Mas sabe o que sei? Que se vem do coração, eles vão amar :)

    http://www.chaeamor.com